Inicio » Blog » “Ferramentas de planificação estratégica. A Matriz DAFO

A matriz DAFO (Debilidades, Ameaças, Fortalezas e Oportunidades), é uma das ferramentas de planificação mais simples de se realizar e, possivelmente, a que melhor possa clarear tanto a planificação quanto a melhora contínua da empresa ao ser utilizada com um ciclo PDCA.

Em primeiro momento, com a análise externa do mercado, que vimos em notícias anteriores para a determinação do interesse de um mercado, poderia ser suficiente para determinar as oportunidades e ameaças, que têm origem em fatores externos. Enquanto, que para a análise interna mediante o qual se detectam as forças e debilidades, nos serviria para um conhecimento profundo da organização.

Tanto a análise interna como a externa podem ser organizadas em modelos e guias que veremos em notícias posteriores, mediante o aprofundamento na matéria e conhecimento detalhado do que nos cerca (incluindo nossos concorrentes), como a nós mesmos e estabelecimento de processos comparativos de medição.

Em uma análise básica, antes de definir a matriz e, posteriormente, o binômio que se forma entre estes termos, deve-se definir os conceitos:

 

PONTOS FORTES INTERNOS POTENCIAIS

São todas aquelas áreas nas quais a empresa possui força e destaque entre seus competidores. Por norma geral, são mais do que a organização pensa em um primeiro momento, pelo qual se aconselha determiná-los com uma análise exaustiva e metódica da competência adiante.

PONTOS FRACOS INTERNOS POTENCIAIS

São todos aqueles pontos nos quais detectamos defeitos e debilidades. É fundamental um exercício de sinceridade e honestidade para a determinação dos mesmos, já que, em grande medida, a possibilidade de execução e dos frutos das estratégias determinadas por esta ferramenta dependerão disso.

OPORTUNIDADES EXTERNAS POTENCIAIS

Possivelmente, se já realizamos a análise de interesse de mercados tal como se via em notícias anteriores, tenhamos muitas informações para se detectar vazios no mercado ou coisas que podemos aproveitar para melhorar a renda, incrementar as vendas ou simplesmente adiantar-nos em relação aos demais concorrentes.

AMEAÇAS EXTERNAS POTENCIAIS

Do mesmo modo, com a análise do interesse de mercado, poderia ser suficiente para sermos conscientes e estarmos preparados perante às eventualidades que possam surgir no mercado e que nos afete com a menor medida possível.

Uma vez detectados, o primeiro passo seria estabelecer listas de cada um dos aspectos, no seguinte formato que podemos ver, com alguns exemplos:

clip_image001

Por experiência, a maior parte das ocasiões na qual se realiza uma matriz DAFO, ficam nesta fase, sendo dadas por suficientes e deixando para trás a maior utilidade desta ferramenta, a determinação de eixos estratégicos mediante a definição dos binômios conforme a seguinte matriz de dupla entrada.

clip_image002Nela se substituem as palavras oportunidades, ameaças, forças e fraquezas pelos pontos obtidos anteriormente e, mediante a união dos valores na matriz, se obtêm os eixos estratégicos cuja prioridade de execução dependerá da orientação estratégica geral da empresa diante de cada unidade de produto-mercado na qual esteja presente ou pretenda estar.

Tags:


isotoolsmasde15
 
Solicita más información

Eu li e aceito os a
termos

[recaptcha]

AVISO LEGAL